23/12/2009

Capítulo 14 – Declaração

Sophie estava linda. Usava um vestido cor-de-rosa que se limitava em suas coxas. Seu cabelo estava preso com uma tiara que mais parecia uma coroa de princesa e era realmente assim que a via, como a minha princesa. As batidas do meu coração aceleraram ainda mais ao ponto de quase sair pela boca. Por alguns instantes pensei que ele estava em minha garganta. Comecei a gaguejar sem saber o que falar. Ela perguntou se eu estava bem. Respirei fundo acalmei-me um pouco. Comecei puxando um assunto sem lógica para aquele momento, mas logo Sophie me deu interrompeu dizendo que tinha a certeza que eu não tinha ido até lá, na chuva, somente para falarmos da padaria. Essa atitude só fez com que eu me envergonhasse mais ainda. “- Tenho algo para te dizer, mas não tenho coragem”, confessei, cabisbaixo, sem querer ver a sua reação ao ouvir aquilo. Sophie me afirmou que qualquer que fosse o assunto ela iria ouvir com toda a atenção e independente do que fosse, iria ficar sempre ao meu lado. Uma lágrima saiu dos meus olhos e fiz questão que ela visse isso. Seu olhar se estreitou e uma expressão de preocupação se formou em seu belo rosto. Enxuguei a lágrima e, por impulso, comecei a desabafar o que estava preso em mim por tantos anos. Afirmei que por ela eu sentia algo diferente, algo que vai além de uma simples amizade. Quando estava em sua presença meu coração tinha uma batida diferente, uma mistura de inquietação e sensatez, minha respiração não era a mesma, meu corpo tremia e suava, sensações essas que estava fora de meu controle. Algum tempo atrás, tive a certeza que gostava dela mas não tinha coragem de ficarmos face a face e me declarar. Que foram várias as noites em claro pensando se ela gostava de mim do mesmo jeito que eu dela. E que hoje tinha tomado essa decisão, de jogar tudo para o alto, encarar o tudo ou nada e pelo menos uma vez ter uma atitude digna de homem. A expressão de Sophie era indecifrável. Continuei dizendo que fazia de tudo para estar ao seu lado, que me alegrava com as suas visitas e com a ajuda que ela sempre me dava. Mas não podia ir contra o meu coração. Ajoelhei-me, segurei a sua mão e lhe disse: “- Sophie, não posso mais olhar para você e não poder te tocar, te beijar, te abraçar... não posso mais olhar nos seus olhos e fingir que nada acontece. De uma vez por todas... Você quer fazer parte da minha vida como a minha namorada?” Sophie ficou paralisada por alguns instantes. Reveja: Capítulo 1 Capítulo 2 Capítulo 3 Capítulo 4 Capítulo 5 Capítulo 6 Capítulo 7 Capítulo 8 Capítulo 9 Capítulo 10 Capítulo 11 Capítulo 12 Capítulo 13

6 comentários:

T. disse...

Às vezes eu me pergunto se ainda vou encontrar alguém que eu ame disposto a me dizer algo assim. Muito lindo. :D E a resposta, cadê? ;-;

Sarah' disse...

adorei.

Luan Fernando disse...

Sacanagem terminar o capítulo assim. Agora vou ter que esperar para ver o que ela vai responde para ele... Espero que seja algo a favor dele, gosto de ficar do lado do amor...

Rafa Cullen disse...

Nhaaaa, vc SEMPRE termina o capítulo na parte que deixa a gente mais curiosa! Vou entrar em depressão profunda por esperar tanto ;-;
=*

Tânia disse...

Jura que voce tah escrevendo um livro ??
Parabéns *-*
Voce escreve muito bem.. vou ler os outros capítulos..
Voce demonstra ter bons sentimentos nas coisas que escreve.. suas palavras são sempre doces e delicadas.. adoro seus textos.. de verdade.. sou sua fã oO .. rs

beijos.

Tânia disse...

Terminei de ler os outros capítulos.. muito interessante a história.. espero que o próximo caítulo não demore *-* rs

beiijos.