04/11/2010

Coisas que só acontecem comigo. Ainda bem!

[status: ON]

Nesse feriado tudo estava monótono até Lucas, Thayran (lê-se tairân) e Caio chegarem na minha casa. Feriadão, tédio, amigos ao lado: qual a primeira ideia diante dessa situação? COMER PIPOCA! Como meu armário de cozinha está completamente vazio de guloseimas, fomos comprar milho (aqui não tem microondas, desculpa) em uma pequena venda que fica há dois quarteirões da minha casa.

Por volta de 19h: 45 tínhamos saído da venda. Conversa vai, conversa vem, e o inusitado acontece: dois homens “voavam” de bicicleta. Um vinha dando pontas-pé na do outro e dizendo: “eu vou te matar” enquanto este permanecia mudo. Logo atrás vinha uma mulher, montada em uma bicicleta de criança, chorando e suplicando “ajuda pelo amor de Deus”. Logo mais a frente, o que tinha sido ameaçado de morte larga a bike na rua e entra na casa de um desconhecido.

(enquanto isso, Lucas e Thayran, no ápice da coragem, correm desesperadamente para uma pequena lanchonete, enquanto eu e Caio ficamos observamos o desenrolar da história).

Nesse momento já tinha até gente de roupão na rua para conferir o que era aquele movimento todo. Depois de ameaças e gritarias eis que surge a realidade dos fatos: Um homem tinha abusado de uma criança e feito gracinha pra cima de uma idosa. O neto dela descobre e vai atrás do sujeito que praticou essas barbáries para fazer justiça com as próprias mãos.

O justiceiro era um negro forte, rosto rústico, porte típico de segurança de boate que no fundo é playboy de academia. Já o “mala” era um cara de rosto amassado pelo tempo, camiseta suja e aparentava estar bêbado. Com dois pedaços de madeira na mão o justiceiro grita “tu vai pagar” e diversas outras ameaças.

(enquanto isso Caio e mais alguns vizinhos ligam para a polícia, que por incrível que pareça, demorou somente 6 minutos para chegar ao local. Aplausos!).

Polícia na parada, caso resolvido. Eu poderia muito bem nesse texto parabenizar o trabalho deles e etc., mas venho aqui filosofar sobre outra coisa - já que sempre paro pra questionar e analisar tudo que acontece ao meu redor: já pensou que história mais peculiar eu teria perdido se estivesse imerso nesse mundo fantasma apelidado de virtual?

Quantos acontecimentos deixamos de vivenciar, quantas pessoas interessantes deixamos de conhecer, enfim, quantas coisas perdemos quando não damos valor a vida. Quantos lugares ainda precisamos explorar, quantos pratos precisamos degustar, quantas sensações precisamos sentir. Precisamos colocar a internet como hobby e não como prioridade. Pra isso acontecer, basta se conectar as mais maravilhosas coisas que foram criadas por Deus.

Desligue o pc e respire... isso é viver!

[status: OFF]

Acho que não preciso dizer mais nada. Eu quero uma vida assim!!
Perdão a ausência gente, vou voltar pra cá com força total. Beeeijos ;**

14 comentários:

Layla disse...

Amigo texto perfeito ..
gostei acho q vc sabe pq crianças .

Então desligando-me

Xerooo

Allan Penteado disse...

Muito bom, as vezes a vida real nos chama, eu tenho a net como hobby, e não me arrependo quando desligo o pc e vou sair com amigos ^^

Italo Stauffenberg disse...

rapaz, ligava pro 190 que eu mandava uma VIATURA para o local! This is my job man!

UEHUEHUEHUEHEUHEUHEUEHEUHE'

Já estou ficando tão acostumado com essas histórias, que somente pela ética, não as publico em meu blog!

'-'

Ana Seerig disse...

É, tem coisas que só acontece contigo... é de não acreditar!

Sobre tua análise final: assino embaixo. Como é bom não passar a tarde na frente do pc... Quando faço isso me sinto tão bem! Tô, aos poucos, tentando voltar ao mundo real, sem abandonar o virtual, mas deixando de depender dele...

Belo post!

@juusep disse...

realmente, devemos viver mais! *fora do pc.*

Esaú Maia disse...

Eu li o texto, viu! kkk

Deixamos, quase sempre, de viver a vida real pra viver uma vida virtual, e perdemos momentos importantes e concretos, que não podem ser acessados mais tarde.

O que vale a pena é viver uma vida com Deus, seja onde for, no mundo real ou virtual (propagando o evangelho pela rede!).

É isso ai amigo jornalista. Vamos à luta!

P.s.: poxa James, tu podia criar um layout pro meu blog... #deixequieto

Tiago Fagner disse...

É verdade rapaz. Já houve o tempo em que eu vivia pela net, mas a vida offline tem muito mais a oferecer apesar dos pesares.

Abraço e uma próxima semana menos tumultuada ou não...

Vi e Ouvi Por Ai disse...

Caramba!! que história!! imagino a cara das pessoas na rua diante desse acontecimento... realmente aplausos para a polícia ter aparecido logo!!!

Concordo com vc... as vezes a gente esta tão preso nesse mundo virtual e esquecemos que existe um mundo real nos esperando lá fora. Gente abram as janelas (não as do pc) e vejam o mundo que os espera!!! hehehehe

Beijosss

Vivian

♥cinderela♥ disse...

Por trás de uma tela fria
Aquecida por sonhos
Deixamos os anseios fluírem
Através de uma vida virtual.
Beijos e sorrisos !

Lucas disse...

kkkkkkkkkkkk
que emoção eu estive láa!

Higor disse...

É.. to trabalhando nisso, preciso conseguir ficar menos tempo na frente do PC. Tenho total noção de quanta coisa eu perco enquanto estou aqui. Agora vai no meu blog e veja o que aconteceu quando eu resolvi sair ontem(ou antes de ontem sei la) lol

Queria ouvir uma opinião sua que parece ser uma pessoa religiosa.

Clara disse...

É sim, vc tem razão na sua 'filosofação'. Sempre tenho a sensação que a vida pssa lá fora enquanto estou aqui e não é nada bom, rs! Essa 'aventura' que vc contou não é das mais agradáveis, mas estar com amigos, sair e ver o mundo, mesmo que não aconteça nada de extraordinário é muito melhor do que mofar na frente do pc aproveitando pra estragar as vistas! :)

Murillo disse...

Texto muito bem escrito, típico de um verdadeiro jornalista! Um 'simples' fato, vira uma postagem, futuramente uma reportagem de jornal! Parabéns pela sinceridade! O blog também está bem legal! Obrigado pelo comentário e visita ao meu, levantou um tema interessante! :)

Rafael disse...

É, precisamos usar menos o computador...
Abraço