24/09/2010

Apareça na minha frente e te direis quem és!

“Eu não tenho preconceito”. Esse é o famoso discurso dos pseudo-anarquistas que usam tal frase para desdobrarem alguma situação ou se safar de um momento constrangedor; mas é só ver alguém mal vestido que as maiorias dessas pessoas o tacham de mendigo e lhe dão o tratamento que “merecem”, ou seja, para tais pessoas a primeira impressão é a que fica.

Sabemos que nem todos que andam bem vestidos são ricos e os que andam mal vestidos são pobres. Mas o preconceito com aquilo que é diferente interfere no nosso julgamento, nos fazendo acreditar que aquilo que é percebido pelos nossos sentidos – nesse caso a visão – catalisa toda a verdade.

A aparência, o modo de se comportar ou mesmo o trejeito não revelam a verdadeira essência do individuo. É muito comum com os rapazes. Há casos de garotos que tinham um jeito afeminado “passarem o rodo” nas meninas da escola e os “machões” se assumirem homossexuais. Se uma garota tivesse que escolher um deles e os avistasse pela primeira vez colocando em cheque o jeito do rapaz, qual deles ela iria escolher? – ou seja, decepção a vista!

Julgar as pessoas logo pelo primeiro contato é perca de tempo. Às vezes, podemos estar perdendo uma grande amizade ou descobrindo um grande talento por esse preconceito enraizado em nossa alma.

11 comentários:

Guilherme Fraga disse...

As pessaos costumam ter uma visão deturpada da sociedade.
Mais independente de tais jugamentos, devemos ser feliz da maneira que somos, independente dos olhares indiferentes dos outros.

Belo texto.

Italo Stauffenberg disse...

melhor que o meu texto!

hehehehe'

sorte com sua pauta!

acho que leva de novo!

parabéns!

Thaís A. disse...

Todo mundo tem pré-conceitos, por menor que eles sejam. Só não podemos deixá-lo formar completamente a nossa opinião sobre algo.

Allan disse...

Cara você tratou o assunto de uma forma muito legal, gostei principalmente daquela parte: "ás vezes podemos estar perdendo uma grande amizade..."
como eu disse no blog do tiêgo e do italo: Sobre esse negócio de pré-julgamento todos nós seres humanos fazemos, mas nem todos temos a consciência de que mesmo tendo uma opinião formada nós temos que comprová-la, correr atrás pra ver se é isso mesmo, eu caí em mim quando descobri que todos os meus pré-julgamentos estão errados, sempre quem aparenta pra mim ser mais legal, é sempre dos mais chatos e vice-versa, a primeira impressão [pelo menos pra mim] não é a que fica. Abraço

@juusep disse...

De fato, eu tenho um certo 'preconceito' maaaaaaaaaas sempre que eu 'tenho esse preconceito', não adianta a pessoa fazer nada que o meu jeito de pensar sobre ela não mudará.Odeio isso. :\

Clara disse...

'Preconceito' quer dizer conceito antes, ou seja, formar a opinião sobre algo ou alguém antes de de fato conhecer. Diferente de discriminação, preconceito todo mundo tem, é inevitável não formar uma primeira idéia das coisas. O negócio é se prender às nossas meias verdades e se tornar um discriminador. Isso sim é ruim, principalmente pra nós mesmos, que fazendo assim deixamos de descobrir muita coisa que pode valer a pena.

Debbys disse...

pois eh.. várias vezes julguei a pessoa com "cara de chata" e no fim descobri um grande amigo que era bem diferente do que eu imaginava...
bjsss

Jéssica Trabuco disse...

Preconceito é perigoso quando esse se torna discriminação...

Natália disse...

Nem sempre a embalagem fala se o conteúdo é bom. Beijo

Nathy disse...

"Julgar as pessoas logo pelo primeiro contato é perca de tempo. Às vezes, podemos estar perdendo uma grande amizade ou descobrindo um grande talento por esse preconceito enraizado em nossa alma."

Falou tudo! Eu não tenho muitas experiências de julgar pela primeira impressão, sabe?! Mas já tive, claro! E realmente já quebrei a cara algumas vezes!

Eu acho que a primeira impressão nunca é a que fica! É só impressão, mesmo!!!

édipo. disse...

a verdade é que as pessoas veem o que querem ver!

achei o blog muito legal! :)

http://amigosblogviajante.blogspot.com/