19/05/2015

Cara ou coroa - Parte I

Por Cristian

Honestamente? Eu nem sei o que pensar!

O carinha era até interessante. Apesar de baixinho, tinha cabelos loiros armados em rabo de cavalo na altura dos ombros, peitos malhados e tatuagem no bíceps. Sua pele bronzeada se confundia com seus olhos verdes e os ombros largos davam a ele um porte másculo, apesar de que sua voz aguda acabava com todo o encanto masculino que tinha. Estávamos na casa de um amigo em comum quando ele começou a puxar assunto. Conversamos e ficamos algumas vezes. Apesar de todas essas características eu estava em um momento diferente da minha vida. Queria estar sozinho e enfrentar meus próprios medos sem ter apego a ninguém. Mas o Edu era um cara diferente. Adorava a companhia dele, o sexo, as diversões. O único empecilho entre nós era essa sensação de precisar estar sozinho.

Foi então um dia que ele me chamou pra jantar que as coisas começaram a mudar... 



Por Edu

Honestamente? Eu não sei o que pensar!

Quando entrei no apartamento do meu amigo ele foi o primeiro rosto que observei. Gostei do jeito que estava vestido com aquela camisa xadrez dobrada nos ombros e aberta na altura do pescoço, revelando os pelos do peito. A voz dele era firme e a cada vez que falava meu corpo se arrepiava inteiro. Naquele mesmo dia, antes de sair de casa, prometi a mim mesmo que nenhum homem iria me fazer sofrer novamente e eu não abriria a oportunidade para que nenhum entrasse na minha vida de novo. Mas essa promessa foi em vão. Quando dei por mim já estava beijando aquele homem tão sedutor com nome de Cristian. Ficamos algumas vezes e fui me envolvendo. Ao passo que quis continuar, a promessa feita alguns meses atrás funcionava como uma âncora me puxando para a realidade do “não quero mais sofrer”. O tempo passou e decidi dar uma nova chance a mim mesmo. 

Foi aí que o chamei para jantar. Só não sabia que as coisas iriam começar a mudar desde então...

Um comentário:

Allan Penteado disse...

Cristian... me faz lembrar de 50 tons de cinza heueheuheh.