03/03/2011

Hiatos


Bem, quem sou eu? Ainda não descobri. Não que eu jamais tenha me perguntado isso, é que realmente não me lembro. Já li cartas antigas, observei as fotos espalhadas no que dizem ser o meu quarto, fucei alguns objetos e nada acontece. Eu não recordo de absolutamente nada. É sério! Desde que acordei daquela escuridão me vi assim. As pessoas falam comigo, abrem aquele sorriso, esperam alguma retribuição, mas parece que o meu corpo trava - eu não consigo sorrir pra alguém que não conheço. Na verdade, não consigo olhar nos olhos de quem é estranho. Sinto medo. Quem são essas pessoas? De onde elas me conhecem? De onde vim, para onde vou? Quem é aquela garota? Estranho! Sinto como se já a conhecesse. Porque está chorando moça? Não, não chore, você é linda, não precisa ficar assim. Porque está me tocando desse jeito? Não pare! Sua mão suave e quente fez acelerar meu coração. O que é isto que estou sentindo? Não sei, mas é bom. Lágrimas. Porque estou chorando também? Que sensação é essa? O toque dos seus lábios nos meus gerou um choque e com ele dormi.
Na manhã seguinte me falaram que perdi a memória. É estranho não ter lembranças. Mas fico feliz por reconhecer através dos meus sentimentos aquela garota. Meu primeiro beijo foi inesquecível e, com certeza, é maravilhoso pensar que essa seja a minha primeira nova lembrança do meu passado tão recente.

15 comentários:

Janaina Barreto disse...

Já pensou? Acordar num dia e não saber nada sobre si mesmo? òó Seria muito complicado... Acabei de ler um romance esses dias que acontecia exatamente isso. Será que os sentimentos vem de outro lugar do cérebro diferente de onde se encaixam as memórias? Curioso... Gostei muito!

Tô te devendo visitas, né? Sinto como se eu não te visse há séculos! "/

Beijos, Jota. =*

Babizinha disse...

"... É maravilhoso pensar que essa seja a minha primeira nova lembrança do meu passado tão recente."

Você soube prender o leitor até o final enlaçando os fatos, as dúvidas e as sensações muito sutil e rapidamente e ainda encerrou com essa frase... Ah, já ganhou! E fiquei me perguntando o mesmo que a Jana: "Será que os sentimentos vem de outro lugar do cérebro diferente de onde se encaixam as memórias?"

Boa sorte, Jota!
Beijos

Geici disse...

Adorei o texto de verdade! ^^ Estou te seguindo.

http://geiciblog.blogspot.com/

Vanessa de Paula disse...

Na boa, arrasou! muito lindo! (:

Carllos disse...

Já falei, mas vou repetir akii:
Muuuuuuuuitaaa criatividaade e um uso
expetacular das palaavraas!!!
Ótima históoria.. xD

Tânia disse...

aiai .. que inveja dele
UAHSUAHSUHAUSHUASH'
beem queria eu esquecer TUUDO, rs'
ARRAZOU MOCINHO *-*
merece 1° luugar (:

beeijos.

Clara disse...

Viver tudo como se fosse a primeira vez é o que todos deveríamos tentar fazer sem sermos forçados por acidentes ou perdas de memória. Se acostumar com a vida e as emoções é triste, seria bom reviver tudo com a mesma intensidade do primeiro momento.

Central Sentimento Padrão de Divulgação disse...

Quer fazer parte de uma verdadeira família de blogueiros?
Tornar seu blog um ponto de parada de pessoas que realmente se interessam em compartilhar informações e opiniões?
Veja nossa proposta e Participe da Iniciativa Sentimento Padrão

Debbys disse...

nossa, bem tocante... tenho medo de perder a memória.. sempre que bato a cabeça a primeira coisa que eu faço é uma lista mental das pessoas mais importantes pra mim, pra ver se tá tudo normal.. juroo! kakakaka
bjusss

Joyce C. disse...

"Com certeza, é maravilhoso pensar que essa seja a minha primeira nova lembrança do meu passado tão recente".

Oh, James.
Que texto bonito. Sensível!
Com toda certeza deve ser estranho ter a memória apagada dessa forma.
Por algumas vezes queremos até esquecer certas coisas.
Mas a memória é importante. Seja lá o que você tenha guardado.

Olha, amei o texto!

Beijos!
Paz!

Gêsa disse...

Como sempre muito bem escrito. (:
Seu texto me lembrou algo que o meu professor de psicologia falou sobre memórias: "o subcosciente só vai nos dar acesso as coisas que são de fato relevantes". E o amor com certeza é uma dessas coisas.

Tiêgo R. Alencar disse...

Acho que eu surtaria total se acordasse sem memória. Sério, não me imagino querendo me desfazer das minhas lembranças, nem das ruins. Elas me ajudaram a construir minha personalidade de um jeito ou de outro, né? Mas olha, muito boa a válvula de escape que o guri usou pra começar a se lembrar, amor sempre!

Abraço ;) Muito bom texto!

Jéssica Trabuco disse...

Que texto mais gostoso!

srta paty disse...

Adorei seu blog. Estou seguindo.
Se puder, segue o meu também?

ps-srtapaty.blogspot.com

Beijos.

Raquel Oliveiira disse...

oiii, mais uma vez passando pra dizer que tem selo pra vc no meu blog: http://geracaoirreversivel.blogspot.com/2011/03/selos.html

parabéns, o seu blog é otimo..