20/01/2011

O Homem Que Há Em Mim

Ontem ele percebeu que vivia como em uma sauna, livre pelo calor intenso da vida, mas completamente preso em não poder usufruir dessa liberdade; sempre se castigava pelo sentimento da vergonha: vergonha em não poder ser quem realmente era e vergonha por sentir vergonha. - Que espécie de homem é esse que se esconde atrás do dengo, das fortes emoções e da culpa? Afinal, o que é ser Homem? Ele assim se perguntava.

Ele é do tipo que sofre em silêncio, mas que nunca dá o braço a torcer - mesmo quando sabe que está errado. É do tipo meninão, adora mais conversa do que ter contato físico, adora um abraço a um beijo, gosta de ouvir e não de falar – mas a forte timidez impede com que isso aconteça.


Ele é do tipo que observa, come calado, se enfurece com a injustiça, trata todos por igual – mas quando fala, por mais que seja bobagem para muitos, tem intenção de somente agradar. Agradar talvez seja o maior erro dele! Não vê distinção no caráter entre homem ou mulher, todos são pessoas, humanos erram na maioria das vezes.

No fim ele se vê como um sujeito sem reflexo, com sentimentos intensos e que não são liberados, talvez pela falta de amor, talvez por não conhecê-lo, talvez por fazer de conta que ele não existe. - É bem mais fácil mentir para si mesmo do que enfrentar as dores do coração. Esse era o seu lema.

Sua identidade era fugitiva: ao ponto de encontrá-la, ela se esvaia com a água da chuva que se misturava às suas lágrimas. As mãos na cabeça revelavam o cansaço, o coração pulsava freneticamente, seu corpo malhado era polido pelo próprio suor e mais uma vez seu pensamentos falavam mais alto: - Eu só preciso de alguém que não desista de mim.

O que ele não sabe é que esse alguém é ele mesmo.

Quem é esse homem? Acredito que seja um pouco de mim. Não sei se sou totalmente assim, só sei que acordei e veio a ideia desse texto. Diz ai, acordei com aquela inspiração hein? Beijos pras meninas, abraço pros marmanjos, e a vida segue. Até a próxima!

12 comentários:

Fabi Celso disse...

que inspiração e que homem é esse?
gostei do texto, beijos

Lαís Pαmelα :) disse...

hiiper inspiração essa viu?
adorei.
beijos.

Ricardo Salazar disse...

Hum.. me lembrei do culto de quarta! xD
parabens...
Realmente conseguir tirar todas essas coisas de si requer ajuda divina de Deus! Que o Senhor abençoe sempre sua vida e a vida dos seus discipulos James!
PAZ!!!

Allan Penteado disse...

tem bastante de mim nesse texto também rsrsr algumas coisinhas eu tiraria, assim como o corpo malhado rs Mas quer saber eu acho que a maioria dos homens sentem ou passam por algo parecido, porém eu tento a cada dia melhorar.

Clara disse...

A rimidez é uma coisa bonita quando não atrapalha a vida... Acho que às vezes de tanto olhar pra dentro de nós mesmos, acabamos sendo mais humanos. O negócio é saber ter um equílibrio na vida, e isso se aprende com o tempo.

:) Abraço!

●๋• тнαi иαรciмєитσ disse...

Gostei especialmente do final: antes de esperar que os outros nos amem, precisamos amar-nos.

*

Giovanna Lundgren disse...

Onde está esse homem? hehe
Quase perfeito né?
Só precisa perder um pouco da timidez, tomar um pouco de atitude e as vezes ceder.
Adorei o texto ta super inspirado. Parabéns
Beijos.
Ah enquanto você se sentir acomodado, tome coragem homem, vá a luta. :) (tenho que dizer o mesmo pra mim as vezes só trocando o homem por mulher. kk. tá não teve graça)

Juliane S. Rocha disse...

Me identifiquei em alguns aspectos com essse homem, e muitas vezes precisamos saber que tudo só depende de nós realmente.
Beijos James

Ceres        disse...

Acho o máximo essa coisa de homem ter blog, sério. Meu namorado mesmo tem, e eu sempre visito (:
Obrigada pela visita, estou te seguindo.
beijos

Vida disse...

Obrigada pela visita, volte sempre :D

Tiêgo disse...

Eu tive uma séria desconfiança de que o homem da postagem não tem uma parte de você. Ele É VOCÊ! Hahahaha, seria o típico cara ideal. Curti o texto, Jota!

Abraço :)

Jéssica Trabuco disse...

Acho que a pior coisa e fugir de si mesmo..
Seja o que é, sem medos, sem poses... com coragem.
Acho que isso que vale.

;)