30/07/2010

PASSIVIDADE ATIVA

Até que ponto a passividade pode afetar a mente do homem? Um título aparentemente previsível com enredo reflexivo. É assim que o longa do diretor David Fincher, Fight Club, retrata a vida de Jack (Edward Norton). Ele é escravo do trabalho, vive de viagens a negócios e uma vida descartável. Tem insônia, é amigo de homens sem testículos, drogados e com doenças mortais.

Em uma de suas viagens, Jack conhece Tyler Durden (Brad Pitt), o bonitão, desejado pelas mulheres, um cara sem escrúpulos. Faz o que lhe convém, é divertido, relaxado e encontra prazer em tudo. Tyler era cheio de idéias para fazer de Jack “livre”. Com o passar do tempo, eles criaram uma ordem secreta, onde vários homens se encontram para extravasar as angustias e tensões do dia-a-dia através de combates corporais.

Ao perceber que sua vida social já estava diagnosticada, Jack tem a revelação: seu amigo era na verdade fruto de suas fantasias. Ao drogar-se melancolicamente em terapias para pacientes terminais e sonhar com uma vida boêmia e sem limites, ele projetou todas as características não existentes do seu ser em uma pessoa imaginária, Tyler.

O clássico Clube da Luta alarga a fronteira existente entre o stress da vida contemporânea e a periculosidade de uma vida sem limites. Além de demonstrar como nossas vontades e desejos, quando não saciados, podem ocasionar distúrbios mentais.

Queria escrever uma resenha melhor, espero que gostem. Vou começar a criticar um pouco o cinema, com esse filme aí estou só me esquentando. Até mais

8 comentários:

Jaqueline Jesus disse...

nossa! odeio filmes que contenham qualquer tipo de violência, mas isso não me impede de preciar um bom enredo como este. Achei bem interessante essa coisa do Tyler ser imaginário, deve ser, muito bom o filme.
Beijos
e a resenha ficou ótima :D

Italo Stauffenberg disse...

Esse filme é tão complexo... Como cras se reúnem apenas para se socar? Apesar de tudo, eu gostei muito dele!

Gosta de filmes? Eu sou doido por cinema e afins. Sempre que posso tô no cinema vendo o que tá passando de bom. Tbm fazia resenhas dos filmes que via em lançamentos em outro blog que tinha, parei. Acho bem legal essa parada de falar de filmes. Tem filmes muito bons por ae. Do Brad Pitt então, pedi as contas de filmes bons que ele faz.

òtima resenha.

Abraço

Tânia disse...

aah. prefiro uma comédia romântica.
UAHSUHAUSHAUHSUAS'
beijos, beijos.

Debbys disse...

adoooooroo esse filme, mesmo achando o final dele sem sentido, sem noção, mas eu gostei!! kakakaka
bjinhuss

Yasmin F. disse...

Mtos anos que assisti esse filme!!

Babizinha disse...

Parece que eu tenho um magnetismo com esses filmes "barra pesadas", mas com boas histórias, onde Brad Pitt, Leaonardo DiCaprio e Matt Damon (aliás, esses sempre fazem filmes bombásticos juntos) são os atores principais.
O enredo me agradou e pareceu-me bem inteligente. Vou procurar p/ assistir. E sua resenha fico ótima, adorei. (:

Beijos
:*

Taw disse...

Eu não gosto de filmes violentos... fujo deles!!! xD

não gosto de filmes românticos, nem de filmes sangrentos, ou filmes de suspense, ou de terror, nem de comédias xulas e sem criatividade... hum...

hum... gosto de filmes baseados em fatos reais ou de ficção científica... ou que representam bom trabalho artístico e/ou inovador...

xD

Não vi o filme, mas po... achei que a resenha ficou legal...

Clara disse...

Nunca consegui terminar de assistir esse filme.. filmes assim me fazem mal! =,(

Tem uns flashes no meio do filme em que aparecem a fotografia de um homem... quando assisti estava com meu irmão e achei que eu estava ficando maluca. Daí ele disse: "Caraca cara, que é isso???". Foi então que eu percebi que na verdade eram esses flashes... coisa louca.. parei de ver!! Gosto não! rs


bjoooosss, continue mesmo a escrever! =D