31/05/2010

OBJETO

O céu, meu cobertor. Seu leito revela a minha beleza para os casais apaixonados de Paris. O vento tenta danificar-me, mas ao meu lado se desdobra em ternura. As árvores, castigadas pelo outono frio, dão suporte às pedras quadradas, brilhantes. Porém, solitária, vivo perambulando, imóvel, sendo vista, admirada, visitada. Alegro-me em atender aos pedidos dos corações que buscam viver intensamente o lado bom do amor. Isso basta. Minha vida é assim.

Um dia, o incomum. Um andarilho, na verdade, uma donzela, passou por entre meus membros e fixou seu olhar aos meus. O poste apagado permitia com que sua luz própria brilhasse diante da minha visão, vazia, sem rumo, nem direção.

- nunca me esquecerei de você, minha torre! Disse ela, voz embargada, embriagada, espremida, entediada.

Em seus olhos, uma cortina brilhante se formava. Seu coração martelou uma vez, duro, espremendo duas lágrimas quentes de seus olhos. Meu peito desabou nesse instante. Nunca antes admirada assim, me senti amada e não um objeto, um ponto turístico, como muitos me tratavam. Ela não. Ela se importou comigo. Ela me admirou sem querer nada em troca. Assim senti quando aquelas lágrimas tocaram o chão dourado.

Mas seus cabelos ao vento me deixaram. Aqueles instantes de prazer ficaram somente em minha memória. Memória eterna. Memória interna. Suja. Impura. Melancólica. Abominavelmente fútil. Assim eu era. A Torre Eiffel. Só uma torre!

14 comentários:

Naty Araújo disse...

Bela descrição, James.
Sem dúvida nenhuma esse foi um dos melhores posts que já li de sua autoria.
A veemência contida nas entrelinhas ficou incrível!

Boa sorte nas edições!
Beijos.

Maaari disse...

James você escrevi demais, eu sou sua fã . UHDSIUHDSUIHD
adorei de verdade, (L)

meu escritor (*)



Maaari :)

Debbys disse...

Nossa, muito lindo.. xD
adorei! =]
bjs

Rebeca Rocha disse...

PERFEITO.

Taw disse...

Como ela é humilde... é a mais famosa da espécie, e ainda se acha fútil...

rsrs

xD

:P

Poliana Carvalho disse...

Muuito lindo mesmo
A decrição foi tão perfeita que deu até pra se imaginar de frente à ela, sentindo tudo^^

Isabela disse...

Ah, James! Me descreveu tão beeem...
Amei suas palavras!
Vou começar a estudar por aqui...
Beijo

Layla Anne disse...

esse aqui ta simplesmente mais q perfeitoo

Joy disse...

James.
Que texto belo!
A imagem está linda também.

Beijos!
Paz!

Natasha Knorst disse...

Oi, te deixei um selo no meu blog:
http://natashaknorst.blogspot.com/ :D

sarah disse...

Ser andarilho por Paris? tem coisa mais deliciosa?
acho que não.. rs


mas sim, cada loucura e cada chão que pisamos se torna inesquecível!

um beijo

Joice N. disse...

Oi!
Te convido a participar do projeto "O Paraíso em Palavras", onde blogueiras e blogueiros podem mostrar toda a sua criatividade em forma de textos que serão avaliados e semanalmente postaremos os melhores.
Espero a sua participação!
http://oparaisoempalavras.blogspot.com/

In Verbis disse...

Olá, passando para te convidar para conhecer o Projeto In Verbis.

http://oprojetoinverbis.blogspot.com/

Abraços.

Erica Ferro disse...

Quanta sensibilidade! Gostei mesmo.

Às vezes eu acho mesmo que há algo maior em cada coisa, um alma secreta em cada pedaço de matéria.

Beijo, James.