13/02/2010

Amor Sangrento

Uivo. Medo. Esperança. Sangue. Morte. Amor. O céu ofuscava um vermelho sangrento naquela tarde. Na cidade de Kioro a neblina deixava o dia com aspecto mais aterrorizante que o normal. Pessoas comemoravam esse dia, mas especialmente naquele ano, uma tragédia aconteceu. Era sexta-feira 13. Halloween. Rumores da presença de lobisomens na pacata cidade se espalhavam entre os moradores. Apenas fábulas, histórias que o povo conta. Nada que atrapalhasse o dia especial, mas incomum, desse casal apaixonado. Ou pelo menos era o que parecia.

Betty esperava Bem para saírem em mais uma manhã de Halloween, como todos os anos desde que decidiram se casar. Eram conhecidos na cidade como “casal bruxo”. Sempre se fantasiavam de algum personagem de filme de terror para assustar as crianças que viriam à noite pedir doces e, nas manhãs desses dias, iam juntos no bosque da cidade colher maças para a torta especial de Ben. Tudo normal, até que um uivo feroz foi ouvido por Betty.

Sua casa ficava a trinta metros do bosque da cidade. Intrigada com o som, ela saiu em busca de respostas, preocupada com Ben que ainda não havia retornado do trabalho da noite anterior. Ele era policial e não se preocupava muito em dar noticias, pois a cidade não tinha motivos que o fizesse trabalhar. O barulho do vento e das folhas em que pisava eram as únicas companhias de Betty. O medo foi tomando conta dela, mas ao invés de parar, seguiu em frente a fim de desvendar esse mistério, na esperança que esses boatos fossem resolvidos. Uma pancada. Tontura. Escuridão. Betty estava desmaiada.

Ao acordar, encontrou-se amarrada de costas para alguém, sua pele era dura e suada, aparentemente era um homem forte, musculoso e a sensação de que aquelas costas era familiar não saia de sua cabeça. Ele conversava com alguém, mas pelas fortes dores de cabeça que sentia naquele momento não dava para ouvir a conversa. Mas ela conhecia aquela voz. Por fim, chegou à conclusão que estava amarrada com Ben.

Ele falava com uma mulher, não uma discussão, mas uma súplica. As expressões, ”por favor,”, “por que fazer isso” e “não nos mate” estavam presentes no discurso de Ben. A única coisa que Betty fez foi cutucar as costas dele para anunciar que já estava consciente. Ele entendeu o comunicado.

A mulher gritou acelerando freneticamente o coração de Betty. Era sua mãe, Tally. Aos berros, ela falava que sempre fora apaixonada por Ben, que durante vários anos sofreu por ele ter escolhido a sua filha ao invés dela. Espalhou os boatos e usou o uivo de lobo para atrair a presença dos dois até o bosque para executar seu maléfico plano. Betty não via, mas ela segurava um fuzil nas mãos. Apontou para Ben. Hesitou balançando a cabeça e depois apontou para a nuca de Betty. Deu de ombros e atirou no próprio abdômen. Morreu dizendo: “Assim não terei motivos para sofrer por você. Sejam felizes sem mim então. Te amo filha. Te amo Ben”. 
Antes de mais nada, me perdoem gente!
Estou muito ausente do blog, mas é que a minha vida real está bastante conturbada e assim deixo a virtual de lado. Prometo que amanhã (sábado) estará tudo nos conformes em relação aos comentários respondidos.
Momento felicidade: Consegui mais uma bolsa do prouni. Dessa vez pra enfermagem, bolsa integral, 100% paga! Deus é fiel né? rs!!!!
Esse texto foi mais um pra participação do Capricho Fic, espero que eles gostem. Fiz outro porq achei ter fugido do tema com o texto anterior.
Bom, é isso! Fiquem com Deus, até a próxima postagem!!!!

16 comentários:

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Eita, fiquei toda arrepiada!
Voce é tão versátil que assusta hehehe
Mas quem escreve tem várias faces, agradeço que mostres as suas aqui.

Parabéns pela bolsa, fico orgulhosa pelas suas conquistas!

Beijo, fica na paz.

Olga disse...

o layout do seu blog é legal rs.
eu gostei do texto.

Luan Fernando disse...

Gostei desse texto, principalmente do desfecho.
Beijo
E tenha um ótimo carnaval!
Juliane S. Rocha

Jamylle Carvalho disse...

Faço sim, James.
Me manda um email dizendo mais ou menos como você quer.
mylle.nascimento@hotmail.com


Abraço :**

Luan Fernando disse...

O Luan está vivo sim, ele está fazendo todas as atualizações do Blog como dica e sugestões, notícias (...) e trabalhando no novo conto. Eu estou acompanhando todos os Blogs que seguimos, ele também está lendo seu conto e quer ver como está história irá acabar, pois é bem intrigante.
Beijo!
Juliane

Andreia Rainha disse...

Ficou muito bom o texto...

Não entendi direito o final, mas ficou muitissimo bom.

bjs

patyemo disse...

Fala serio não dá pra se confiar nem na propria mãe![rsrsrs]

bju:)

Tiêgo disse...

OWN, James! Como sempre, arrasando! Eu confesso que olhei pros lados depois de ler seu texto. shuahsuas.

Ai, o TDB. Senti vontade de chorar na mesminha hora que soube. Só não o fiz porque estava na lan house eu pareceria um insano total chorando pra umas doze pessoas verem, né? Mas cheguei em casa e senti uma coisa... Chorei, e muito! Meu sonho de três anos se acabou. Já era. Good bye. EU simplesmente Tô arrasado.

Abraço ;* E boa sorte nesse Capricho Fic. É ele o substituto do TDB na Capricho.

Yasmin F. disse...

Parabéns pela bolsa do prouni!!
Legal o que vc escreveu!! ;D

=*

Yasmin F. disse...

Obrigada pelo toque de corrigir a história!! Tinha confundido algumas coisas!!
=*

Mel disse...

Adorei o texto, boa sorte na CaprichoFic, também mandei um texto, mas confesso que não gostei muito dele. Parabéns pela bolsa. Concordo com o disse em meu blog, até eu me cansei de escrever sobre disilusões amorosas, desabafar é bom, mas como tudo deve ter limites. Vou postar um conto e decidi mudar algumas coisas no meu blog. Adoraria conversar com você, o fato é que meu msn pessoal foi hackeado, tanta gente que não tem o que fazer, né?? Então me add no msn do blog, no momento o meu único: prefiraasjoaninhas@hotmail.com

Beijos, Mel

Deni Maciel disse...

o lado sangrento do amor *-*
ééé homens q escrevem bm.
bm vindo a comunidade.
[não ..eu não estou nela...hehehe]

vim comentar e desejar um ótimo feriado prolongado.
com o bloco da amy winehouse, que não tá me cheirando bem mas...
o bloco do galvão bueno que de tão chato ngm vai atrás..
e o bloco do joão, pedreiro aqui da rua..
\o/

fui e té breve

Jana Barreto disse...

cara, meio sem noção essa mulé... rs
mas tem doido pra tudo :p
Beijo!

Luh* disse...

muito bom cara! esse povo é tudo doido no final! rs
beijos

Debbys disse...

super medo desse texto.... arrepiou hein!!!
eu tbm fiz e ja mandei o meu, mas vou postar no blog depois de saírem os resultados... hehehehe... quero os livros da meg... *-*
bjs e parabéns pela bolsa.. xD

Mayla disse...

nossa,deu um pouco de medo rsrs
Parabéns pela bolsa!
bjos
mah