16/10/2014

Amores de Whatsapp



O vento quente do ventilador acabou o despertando. Pegou o celular e foi verificar suas mensagens do whatsapp, como religiosamente fazia todas as vezes que acordava durante a madrugada. Nenhuma mensagem dela. Abriu a conversa leu e releu sua última declaração quase que de amor. Antes de enviar tinha lido e relido outras vintes vezes, não querendo parecer romântico demais, nem desprendido demais. Na verdade, desde que começaram a conversar, ele nunca foi ele mesmo. Sempre procurava o meio termo, tentando agradar. Fazia vídeos engraçados de seus parentes, fotos esdrúxulas de quando acordava, selfies borrados para parecer descolado, tudo em função de um amor que parecia ser correspondido. Não fosse por aquela última hora que ela não respondera. Em todos esses dias de conversa ela nunca havia dormido sem dar boa noite ou gravar um áudio cantando uma música para que ele fosse dormir em paz. Mas dessa vez não. Ele buscou na memória algo que a tivesse chateado, alguma piada sem graça, um comentário infeliz, mas não encontrou. ‘Talvez ela tivesse descoberto outro’, pensou, ao passo que decidiu também partir para outra, esquecer o mundo virtual, descansar e começar tudo de novo amanhã. Travou o celular, o colocou debaixo do travesseiro e voltou a saborear com a face o vento quente do ventilador. Aí o telefone vibra. Era ela. Um sorriso genuíno se formou em seus lábios e uma sensação de alívio acalmou seu coração, mas ele colocou o celular novamente debaixo do travesseiro, fechou os olhos e pensou ‘amanhã eu respondo’.

Um comentário:

Vertin Barros disse...

Esse texto simplesmente me define.. Amei 😍😍