27/04/2011

Conclusões e desabafos


Se eu pudesse, nasceria de novo. Em outro lugar, com outro corpo, com outra família, com outros amigos, com outro idioma, em outro planeta. Mas já que estou aqui, nasci assim e tudo o que tenho “eu tenho”, porque não tentar me adaptar a isso tudo? Confesso que pensar assim me enlouquece. Até hoje conquistei muitas pessoas com o meu jeito de ser/falar/escrever, mas nunca consegui dominar a mim mesmo. Cheguei à conclusão que a pessoa mais difícil de conquistar sou eu; saber o que sinto, quando sinto, se coloco pra fora ou não, é a minha meta daqui pra frente. Quero provar que sou forte o suficiente de me manter sob controle em todas as situações. Como conseguir? Dizendo não pra mim mesmo! E que se cale o meu eu.

8 comentários:

Nati disse...

Na verdade eu queria viver tudo o que vivi novamente e não cometer alguns erros que me fizeram sofrer muito...

Beijo

Thaís disse...

Estou passando por um momento parecido. Não consigo decifrar-me, estou virando um enigma para mim mesma.

Nathy disse...

Homem é complicado mesmo... depois dizem que são as mulheres...kkk

Anônimo disse...

Isso foi profundo.

Pegadas do Coração disse...

Saber quem somos, não é uma tarefa fácil, mas por que não arriscamos? Tem coisas na vida que se vale à pena arriscar!
Abração.

Vanessa disse...

Eu queria nascer de novo também e ter uma vida diferente da que eu tenho. Queria uma segunda chance.

Babizinha disse...

E que se cale o seu eu ou que ele fale, grite e que todos o ouçam? São tantos fatores que nos moldam e movem, mas se algo realmente lhe apetece mudar lute contra si e transforme-se! Para mim a loucura é um estado de controle, porque ela nos dá liberdade e somente nós mesmos quem podemos admiti-la para nos autojulgar.

Beijos
:*

Keh*** disse...

Quanto mais eu "olho" para as pessoas, mais eu vejo que realmente, estamos cada evz mais presos, na pior prisão de todas: A NOSSA!
Sabe, tem gente que anseia loucamente por liberdade, e acha que liberdade e fazer o que quer, não obedecer ninguém, entre outras coisas, mas não veem que a VERDADEIRA LIBERDADE é a que ocorre de dentro pra fora, nos expondo e sendo quem queremos e não que a sociedade di\z que devemos ser.
Só assim, para curar a loucura desse grande hospício global!