07/08/2010

A homossexualidade tem cura?

Homossexualidade tem tratamento? É, afinal, uma patologia? A religião pode justificar sua origem? Essas premissas são questionadas no longa-metragem Salva Me, título ambíguo e irônico que retrata a vida do jovem Mark - Chad Allen. É assumidamente homossexual, vive de inúmeras aventuras eróticas, além de ser viciado em drogas. Atribui como justificativa para essa vida insana a morte do pai e a sua hipocrisia em questões sexualmente familiares. Após uma tarde de prazer com um rapaz desconhecido, Mark tem overdose e é levado pelo irmão para uma clínica de reabilitação, a Casa Gênesis. A princípio seu comportamento demonstrava repulsa pelas regras da casa. Com o passar do tempo, Mark descobre os prazeres consequentes de quem conhece a si e leva uma vida demasiadamente tranqüila.

A clínica Gênesis é, na verdade, um centro de recuperação cristão que desenvolve o trabalho de “curar” homossexuais, instruindo os internos a focalizarem seus desejos pecaminosos em atividades distantes de atos julgados imorais. A casa promete ter os 12 passos para transformar o jovem gay em hétero.

Conviver com seres humanos pode desencadear inúmeros sentimentos em qualquer indivíduo, o mesmo acontece com Mark dentro da clínica. Desconsolado por habitar em um local indesejado e, consequentemente, sensível a qualquer tipo de afeto, ele conhece Sckott - Robert Gant –interno há cinco meses. O sentimento de amizade é confundido por ambos, ocasionando a paixão ardentemente incontrolável de um pelo outro.

Durante os 96 minutos do filme, muitos diálogos que enfatizam a questão homossexualidade VS religião são discutidos e levam a uma reflexão profunda sobre esse ácido e indecifrável desejo; conta também com depoimentos que exalam o odor interno de pessoas que vivem combatendo contra esse “problema”.

Tomando por base o roteiro do longa, é comum na sociedade contemporânea jovens descobrirem novos desejos em sua sexualidade e focalizarem sua vida nessas aventuras. Em contrapartida, é necessário enfatizar o quanto os grupos religiosos vêm crescendo, principalmente no Brasil, reprimindo esses desejos em busca de uma identidade semelhante à de Deus.

Para explicar o fenômeno homossexualidade, os religiosos tomam por base algumas explicações bíblicas, sendo a mais citada a passagem de Levítico 20:13, afirmando que existe condenação para quem pratica tais atos. Argumentos auxiliar a esse são as evidências que giram em torno de que que toda prática homossexual é desencadeada por algo marcante na vida emocional do indivíduo. Porém, estudos da Associação Americana de Psicologia (APA), concluiu que há pouca evidência de que tentar fazer com que pessoas mudem sua opção sexual de gays para heterossexuais funcione.


Fonte: | 1 | 2 | 3 | 4 |

30 comentários:

A!!ªN disse...

é um assunto bem polêmico.
mas a religião cristã jamais andará
junto como o homeossexualismo,
digo, aquelas que realmente têm a bíblia
como lei.

é o que penso.

Erica Ferro disse...

Olha, sinceramente, esse é um assunto muito, mas muito delicado e totalmente complexo.
Não acho que homossexualismo é uma patologia e que precise de cura. Acho que não se pega "homossexualismo" quando cresce. Conheço pessoas que desde pequenos apresentam características homossexuais e não creio que isso seja necessariamente mau e pecado. Aliás, de acordo com a bíblia, é pecado e condenável. Mas eu sou uma pessoa que tem minhas dúvidas sobre a bíblia e sobre tudo que envolve religões. Isso de ensinar a pessoa a reprimir seus desejos não é curar; é oprimir. Ela, uma hora ou outra, vai passar por crises, ansiando ter as relações que sempre teve e certamente não será feliz se reprimindo. Não sei; como disse, esse assunto é delicado. Tô expondo a minha opinião porque você queria lê-la, James. E essa é a minha opinião.

Um abraço.

Ana Seerig disse...

Aí está um tema delicado: homossexualismo. Fui criada na religião católica, mas me digo agnóstica. Não vejo o homossexualismo como doença. Longe disso! Ninguém escolhe ser homossexuual, assim como ninguém escolhe a cor dos olhos e o tipo de personalidade, é algo que nasce com a pessoa. Se manter relacionamentos com pessoas do mesmo sexo deixa alguém feliz, pois que seja. O que importa é ser feliz, não se prender a um perfil tido como normal e ser infeliz. Eu não sou de debater isso e não o farei agora. Por quê? Porque opiniões são opiniões, devem ser respeitadas. Tudo que digo é, em poucas palavras, que, na minha própria fé, Deus ou seja lá em quem se acredite, quer que sejamos felizes, de modo algum desejará que alguém deixe sua própria natureza apenas pra se ajustar ao tido como 'normal' e ser infeliz. Creio eu que, se Ele está realmente a nos observar, é para nos ver feliz sem que pisemos em alguém e coisa e tal...

Essa é a minha opinião.

Fernanda Zanol. disse...

Não gosto muito de falar sobre religião, porque sempre surgem conflitos, acho que cada um tem o direito de acreditar no que quiser. Mas sobre o homossexualismo, não acredito que seja uma doença, que tenha cura e tal. Acho que é uma coisa da pessoa mesmo e não tem a ver com a religião. A pessoa pode ser homossexual e religiosa ao mesmo tempo, depende só daquilo que ela acredita. Essa é a minha opinião, mas respeito qualquer opinião diferente. ;D

Obrigada pelo comentário lá no blog!
beeeijo =*

T. disse...

Nossa, esse é um assunto bem complicado de tratar... Mas eu, em particular, acredito que homossexualidade não é doença e, consequentemente, não pode ser "curada". É mais uma opção de vida que, como qualquer outra opção de vida, merece respeito. E concordo com a Fernanda, a pessoa pode, sim, ser homossexual e religiosa ao mesmo tempo dependendo de suas crenças.
Mas essas são só as minhas ideias. ^^

;*

Taw disse...

Ah... para mim, isso depende da cultura do indivíduo. Se na cultura dele não há problema, não há o que fazer... mas se na cultura dele é algo errado, então é algo que se deve trabalhar...

Mas é perfeitamente lógico que mesmo que fosse considerado oficialmente como doença, poucos seriam capazes de se curar, dado a "intensidade caricatural" do rótulo em todas as culturas que tomei conhecimento até hoje.

O desafio de eliminar comportamentos como rótulo desse nível, é para poucos e raros... para muito poucos e muito raros.

Saraiva ® disse...

É que tou usando um teclado que nao tem definaçao portuguesa e nao sei como meter os acentos xD


Abraço , camisa é porreira (:

Sam disse...

Não acho que o homossexualismo seja doença, ou possa ser tratado. É natural, como é natural amar. Ninguém escolhe quem ama.
Quanto a Deus... Se Ele nos ama, não quer nos ver felizes? Acho que cada um deve ser feliz a sua maneira, e ponto final =)
Beijos :*

Debbys disse...

religião é um assunto mt difícil de debater, mas acho que a igreja sempre foi, é e sempre será mt radical com certos assuntos e mt hipócrita em certas coisas.... infelizmente mta gente vive de preconceitos usando como desculpa a religião... mas cm eu disse, é tão difícil discutir isso ne... gostei do texto e o filme parece mt interessante!
bjsss

Catarina disse...

oi tudo bem ? adorei seu blog achei interativo e muito interessante to seguindo. Olha tenho um blog

http://kah-catarina.blogspot.com

quero saber se você esta interessado (a) em parceria? entra la comenta e nos segue..

também estou abrindo vagas para moderadores (as) , se tiver , vai la barra lateral e clica em ser moderadora, ai é so preencher o formulário, bjim

aguardo resposta!

qualquer dúvida meu e-mail é catarina_familia@hotmail.com

Babizinha disse...

Ia deixar para comentar num próximo texto, mas acho que devo apenas citar: religião, Deus, ciência é igual a muitas opiniões. Tantos assuntos que geram polêmica e na minha verdade é que acredito que se alguém homossexual pudesse escolher a sua opção sexual, com certeza, ninguém escolheria sê-lo homo devido aos preconceitos. Como a Erica disse: "conheço pessoas que desde pequenos apresentam características homossexuais." Influência da mídia, psicológico ou existe um “gene gay” responsável por isso? Deixemos para os especialistas. Mas, afinal, de um lado argumentações vis querem condenar, doutro apenas pessoas que tentam amenizar essa discriminação e que as mesmas possam ser respeitadas. Aliás, vamos parar de brincar de Deus, pois somente Ele é capaz de nos julgar e condenar. Quanto ao amor e a felicidade cada um busca expressar à sua forma e maneira de ser. A imagem que muitos têm sobre homossexuais são que eles só pensam em orgias e drogas, até conhecer um (a) e saber que ninguém precisa nascer numa família problemática ou extremamente religiosa para passar por preconceitos dentro da própria sociedade ou para se esconder/perder no mundo das drogas. E cada um tem um comportamento diferente perante a isso – até aqueles que cometem “heterofobia” prejudicam o próprio grupo que procuram por direitos iguais – ou seja, respeito só é dado a quem respeita!

P.s. A minha personagem Chloe é uma mulher!

Beijos
:*

Tiêgo disse...

Tá, eu achei o título nada bonito.

Primeiro porque homossexualidade não é doença pra ser curada. E também porque chega a soar homofóbico esse título.
A proposta do filme é realmente intrigante e muito polêmica, se não fosse a grande massa gay que verá isso como um preconceito absurdo. Eu particularmente por gostar de homens e mulheres não me sinto tão ofendido assim, mas eu me preocupo com a visão dos demais. Eu detesto discutir homossexualismo com alguém tão cristão extremista, porque isso sempre acaba em briga e eu detestaria ficar sem seus comentários incríveis em meu blog e no Twitter, mas nesse momento, é preciso uma avaliação minuciosa do que ambas as partes irão pensar. Religião derá pulos de alegria com o frisson desse filme, aposto. Não que eu esteja totalmente contra o longa abordando essa tal 'cura' do homossexualismo, é apenas uma questão de mídia. Agora as pessoas fazem de tudo pra chamar a atenção e definitivamente conseguem. Uma pena que seja por um método tão baixo como falar de homossexualismo.

Tá, falei um monte de asneira, chega. Vou falar demais e a história vai ficar feia.

Até mais, James :) Causou com o post, hein? Haha

Janaina Barreto disse...

como o Tiêgo já falou, soou homofóbico. Sinceramente, eu acho que você devia medir um pouco as palavras quando falar sobre isso. Não por censura, mas sim por respeito. Todos somos filhos de Deus e acredito que apesar das diferenças ou preferências, Ele ama à cada um como iguais.

Beijo =*

Cris . disse...

Não não tem cura, pois não é doença. Acho que o Tiêgo falou tudo que devia ser falado aqui. Também sou cristã, não extremista, mas bem cristã!
É um assunto um tanto polêmico.

Abraço meu .

Rocket Queen disse...

[ Abiima ] acredito q a questão "curar" seria sim uma doença, só q desta vez na "alma" / nos sentimentos.
- e aquele q se diz verdadeiramente cristão, tem quase q obrigatoriamente levar em conta essa questão de "feridas na alma".
- tda vez q falamos em,
religião,Ciência, tdos especulam,
- ahh isso não é assunto a ser discutido, pq resulta em polêmica, por vezes discursão das feias.
TEM Q SER DISCUTIDO, TEM QUE SER COMENTADO!
um acordo deve ser feito! [claro q sem ofensas]
acredito que tenha um alicerce para isso tudo, uma estrutura para o mundo "Um comandante".
tem uma base, para o desenrolar dessa história que é a humanidade.
acredito num Deus justo com mandamentos, as vezes visto por "rígidos" e um ser contrário, que distorce toda a verdadeira natureza humana.

Italo Stauffenberg disse...

CAAAAAASOOOU.

fato.

Achei ótima a sua abordagem sobre o tema. Sou cristão mas não extremista, isto é fato. De extremismo eu deixo para os mulçumanos, eu não. Mas tudo bem, não estou aqui para te julgar James.

Sim, o título soou meu homofóbico e preconceituoso tendo em vista que gay não é doente. Sim, não acho um gay doente. De cura, todos nós precisamos. Acho que a cura poderia ser pelo lado espiritual, coisa assim. O filme? Vou correndo pra ver. Não sabia que ele existia e adoro ver filme ainda mais depois da polêmica que tu causastes.

Sim, eu não sou homofóbico mas tbm não apoio os gays em muitas coisas. Acima de tudo, somos seres humanos e devemos ser respeitados.

Religião, religião, religião. isso não leva ninguém, ninguém para o céu. É utópico falar isso. Creio que o que nos leva para o cpeu é aceitar a Jesus e deixar que ele cause uma revolução em nossas vidas, isso sim. Afinal, ele nos aceita como somos mas não nos deixa como estamos.

Ps.: Se eu me humilhar é do DiscoPraise? Tava na dúvida, por isso coloquei Arena Jovem por que me disseram que era isso.

Ps.:² Curto as cortadas que tu me dá no que escrevo. Coloquei no post que não era gay justamente pelo fato de muitos poderem discordarem e falar... bem.... falarem....

Mas obrigado por vir sempre ao meu blog. Acho muito legal tuas idas por lá.

Abraço James.

Italo Stauffenberg disse...

Ain, como sou lerdo..

correção:

CAAAAAAUUUUUUUUUSOOOU!

UEHUEHUEHUEHEUE'

Carolina Hermanas disse...

É um assunto tão delicado,mas ainda sim simples.Ser homossexual não é uma doença.É a escolha de cada ser humano e ponto final.Cada um vive feliz do jeito que quer,oras bolas!

-


Beeeeijo :)

Lu disse...

Olá
Primeiramente, obrogada por visitar meu blog.

Olha, o assunto do filme é bem polêmico. Mas acredito que ser gay vai de cada um, é um opção que você escolhe, assim como " essa a minha comida preferida" e pronto.
Não é problema. Só vim a ser um problema pra quem quer, igual quando você quer comer sobre mesa antes do almoço, isso não é um problema, é um gosto seu. pronto.

Mas é uma ótimo indicação de filme, dá para debater bastante sobre.

Até mais. Beijos

mayranne disse...

Homossexualismo nao é doença,Deus quer seus filhos felizes... eu creio N'Ele e sei que Ele está com todos!
Por isso, já q falam tanto em amar o próximo pq tratam homossexualismo como doença???Vamos parar para pensar galera isso é preconceito!
É melhor feliz do que infeliz fingindo ser algo que vc nao é.
beeijos

daiane disse...

Eu acho que Deus que ver seus filhos felizes,Eu sou homossexual ,creio em deus passo uma barra em casa,pq meus pais nao me aceitam e nem deixam eu ter amizade,,e vivo totalmente infeliz ,por nao ter quem ,eu quero ou ate mesmo viver numa fantasia que nao e minha..creio que temos que ser felizes,,e nao prejudicar ninguem naquilo que escolher,,,

Luiza disse...

Eu sinceramente duvido que um pessoa convicta, que sabe exatamente o que quer e o que prefere, mude o opção sexual. Certa vez uma amiga minha me admitiu ser lésbica. Ainda perguntei se ela era lésbica ou bissexual e ela reafirmou falando que gostava apenas de meninas. Alguns meses depois ela me aparece com um namorado. Sim, um homem. Nada de mulheres que fizeram cirurgia de mudança de sexo. Era um homem mesmo. Tenho que pedir desculpas, mas não a levei a sério. Ignorei toda aquela confissão dela e passei a acreditar que ela era apenas hetero e queria chamar atenção ou dizer-se moderna e sem precoceitos. Quem é homossexual, levanta a bandeira com gosto e é isso que mais me admira, pois os gays assumem aquilo que são e dão a cara a tapa para todo o mundo. Isso é o mais incrível. Lutar para poder ser quem você realmente é...
Parabéns pela posição de destaque no BK! Merece muito mais. Sucesso, querido.

Clara disse...

Muuuito polêmico esse asunto! Já ouvi falar de lugares que tentam 'curar' homossexuais e pelo que eu sei até tratamento de choque é usado em alguns. Eu já achei que homosseuxalidade fosse doença, mas hoje mudei minha opinião. É claro que essa condição causa sofrimento (eu conheço um homossexual e já presenciei humilhações terríveis), mas no fundo eles são felizes por podererm exercer sua escolha. Quem pode condenar isso? Acho que vale tudo pela felicidade.

Rocket Queen disse...

[ Dieguito ]
nenhuma das três ferramentas,
"Ciência,Religião,Sociedade" consiguiram desvendar ou convencer o "tal" motivo da homossexualidade...
- Não foi comprovado ser um doença,porém, desde já, É UMA EPIDEMIA, tão alastrante quanto a epidemia da malária em 1983. kkkk
- A internet, Televisão e outros veículos de comunicação/informação/entretenimento etc. Ajudam a proliferação desse polêmico assunto.
- que por vezes é concluída a partir de um ponto de vista "preconceituoso, religioso ou defensor de direitos morais". Essa facilidade de informação e de conhecimento do assunto, por incrível que pareça, torna-se maléfico.Bem como a itensa "manipulação-persuasiva" da televisão e seus genéricos nos proporciona a simplesmente, normalizar a situação.
[deixar rolar]...
- Quando o confomismo tomar de conta,
defensores religiosos,preconceituosos e outros, não terão mais argumentos, ou não se preocuparão em encontrá-los.
[ fikDik ] naão seja mais um ventríloco da mídia.

Jacira disse...

Ser Gay não é doença,não contrai um vírus GAY,Deus me enviou aqui,a natureza cuidou do resto,se preocupem com África ao invés de tentar descobrir quem somos,odiando ou amando já da na mesma,cristão ou não tudo esta na lama e eu vou ganhar assas enquanto isso.

Anônimo disse...

na minha opinião sem preconceito eu acho que quem esta com a livre e espontanea vontade de largar a homossexualidade tem o direito ao tratamento sem condenação nenhuma e quem opina em ser homossexual seja feliz como voce é e pronto!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Lulú de Luxemburgo disse...

Vamos por partes? Discordo que a biblia seja tao enfatica assim contra a homossexualidade, ou, se acham melhor, ela é tao enfatica e dura com os demais "pecados" descritos, tais como prostituiçao, idolatria, lascivia e ate a tao comum mentira, bom, vcs que sao os donos da verdade, devem saber que de genesis a apocalipse a biblia retrata esses pecados como tao indignos quanto qualquer outro que a sociedade e a religiao resolveu padronizar como "pecados de morte". Na boa gente, sou contra promiscuidade, uso de drogas, etc, mas essas coisas nao sao inerentes a heterossexuais ou homossexuais, é uma questao de carater, vai alem de qualquer orientaçao sexual. No mais, nao acredito na cura da homossexualidade, pelo simples fato de nao considerar que a mesma seja doença. Abram os olhos, ninguem escolhe ser gay, ninguem escolheria um caminho de sofrimento desses assim, por puro sadismo ou libertinagem. Existem sim os gays imorais, mas existem os que nao sao,façam o favor de respeitar a condiçao dessas pessoas que nao pediram para amar assim, existir assim, nao há contra o que lutar. Tenho dito!

Anônimo disse...

eu acho q cada pessoa escolhe o q quer para seu futuro independentemente do q as pessoas pensam e acham,sou a favor de homossexuais tenho ate amigas lesbicas e acho divertido apoio em tudo o q for preciso e tenho certeza q se eu fosse ao contrario elas me apoiariam;

BELLA disse...

EU ACHO IRADO

Anônimo disse...

Eu não acho que é doença e muito menos semvergonhisse. Acho que é uma coisas em que a pessoa ja nasci.